domingo, 4 de março de 2012

Desmistificando o espiritismo


Há uma confusão enorme que ocorre freqüentemente quando alguém diz ser espírita. Há os que torcem o nariz por achar que espíritas são macumbeiros. Há os que fazem o sinal da cruz, imaginando que espíritas tem pacto com o demônio. Outros passam a pedir previsões, achando que espíritas são especialistas em prever o futuro.
Ser espírita na verdade é se preocupar em praticar a doutrina organizada por Kardec, recebida pelos próprios espíritos na França do século 19. Ser espirita é essencialmente buscar praticar o cristianismo em sua base moral. É ter o Cristo, não apenas como Salvador, mas como modelo e guia.
Embora respeitem todas as religiões e suas práticas, espiritas não são adeptos do candomblé, ou da umbanda, assim como não são praticantes do catolicismo, nem das religiões protestantes, muçulmanas, oi budistas. A diferença principal, é que espiritismo não tem rituais, não tem chefes hierárquicos, nem sacerdotes. Espiritismo tampouco tem um livro sagrado. A única coisa em que um espirita veementemente acredita é em Deus, acima de todas as coisas, e na caridade como caminho para a salvação. Salvação essa que não vem por obra e graça de ninguém além do nosso próprio esforço, através da nossa reforma íntima, da mudança de nossas más tendências, do amor ao próximo, da solidariedade, da tolerância, da reencarnação, do não julgamento, do perdão incondicional. Essas são as bases da doutrina dos espíritos. Quem quiser conhecer essa doutrina sem os preconceitos de que nos fazemos portadores por conta da nossa própria limitação, verá que se trata de uma filosofia lógica, de respeito à ética e aos exemplos cristãos. E ainda que não passe a seguí-la pois podemos amar a Deus das mais diversas formas, deixara de temê-la por não conhecer.
A parte fenomenológica do espiritismo faz parte de seu principio de comunicabilidade com os desencarnados, mas não é uma regra que todo espirita seja médium. E nem todo médium é espirita. Vale ressaltar apenas, que o médium espirita não recebe favores por seu dom. Seu único objetivo é servir, ajudar, amar. Por seu companheiro que sofre e precisa de ajuda mediúnica naquele momento, e também por sua própria evolução na senda da vida.
Espiritismo é uma doutrina de amor, fé resignação e doação, não de dogmas, ritos e adoração.
Por Cris Vaccarezza

Nenhum comentário:

Postar um comentário